Addendum




Portugal

(21 MEPs displayed)

Agreement establishing the EU-LAC International Foundation
Committee on Foreign Affairs
A8-0279/2017:


Francisco
ASSIS
 FOR (+) Por razões históricas sobejamente conhecidas, a União Europeia e a América Latina e as Caraíbas estão unidas por notórios laços políticos e culturais que fazem de ambas as regiões interlocutores privilegiados. Num contexto de relações internacionais perturbadas pelo fenómeno da globalização e afetadas por tensões que se julgavam pertença do passado, considero que a UE e a LAC devem estreitar esses laços a todos os níveis: político-institucional, comercial e financeiro, científico e académico, segurança e transparência, artístico e linguístico, migrações, etc. A Fundação Internacional UE-LAC, a cuja instituição o Parlamento Europeu dá o seu acordo, constituirá um importante instrumento para a prossecução desse objetivo, no quadro do Plano de Ação Bi-regional. Estou convicto de que esta nova instituição terá um papel muito positivo no fortalecimento da relação entre as duas regiões e na promoção do diálogo entre as respetivas sociedades civis.
Carlos
COELHO
 FOR
Manuel
dos SANTOS
 FOR
José Inácio
FARIA
 FOR
José Manuel
FERNANDES
 FOR (+) As relações entre a União Europeia, América Latina e as Caraíbas estão alicerçadas em profundos laços históricos, culturais e humanos, no pleno respeito pelos direitos humanos, princípios e valores comuns, e nos interesses mútuos. A União Europeia e a CELAC reiteraram o seu empenhamento em cumprir todos os objetivos e princípios consagrados na Carta das Nações Unidas, assim como o compromisso pela defesa da soberania de todos os Estados, o respeito pela integridade territorial e independência política, a resolução de litígios por meios pacíficos e o respeito pela justiça e pelo direito internacional. Ambas as regiões, no âmbito das suas relações internacionais, comprometeram-se a não adotar comportamentos suscetíveis de violar estes princípios e a evitar recorrer à ameaça ou à força, de qualquer modo que não seja consentâneo com os objetivos e os princípios das Nações Unidas. Votei favoravelmente.
João
FERREIRA
 (absent)
Ana
GOMES
 FOR
António
MARINHO E PINTO
 FOR
Marisa
MATIAS
 FOR
Nuno
MELO
 FOR (+) As relações entre a União Europeia e a América Latina e as Caraíbas estão alicerçadas em profundos laços históricos, culturais e humanos, bem como no direito internacional, no pleno respeito pelos direitos humanos, princípios e valores comuns, e nos interesses mútuos. O Acordo que institui a Fundação UE-ALC é bastante benéfico para ambas as partes já que tem por objetivo fortalecer esta parceria estratégica birregional aprofundando as relações recíprocas para se poder explorar todo o seu potencial, ter em conta as expectativas legítimas dos cidadãos latino-americanos e europeus e responder com eficácia aos desafios mundiais. Apresentei o meu voto favorável.
Cláudia
MONTEIRO DE AGUIAR
 (absent)
João
PIMENTA LOPES
 FOR
Paulo
RANGEL
 (absent)
Sofia
RIBEIRO
 FOR
Liliana
RODRIGUES
 FOR
Maria João
RODRIGUES
 FOR
Fernando
RUAS
(none)
Ricardo
SERRÃO SANTOS
 FOR
Pedro
SILVA PEREIRA
 FOR
Miguel
VIEGAS
 FOR (+) Baseando-se na existência de relações históricas, sociais e económicas sólidas e de uma comunidade de valores, a América Latina, as Caraíbas e a União Europeia (UE) lançaram em 1999, por ocasião da primeira Cimeira do Rio de Janeiro, um processo de «parceria estratégica birregional». Este projeto ambicioso, que visa, entre outros objetivos, um diálogo político dinâmico e a criação de um espaço de debate político e económico entre as duas regiões, foi reforçado em 2010 com a fundação da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC). Criada como uma plataforma política regional que reúne trinta e três Estados do continente americano, a CELAC tornou-se a contraparte da UE na parceria birregional.
Este acordo poderá ter algumas virtudes. Todavia, os seus considerandos deixam antever mais uma vez o papel da UE como inquisidor mor da democracia e dos direitos humanos, cujo alegado respeito está sempre associado ao grau de subserviência dos países soberanos perante os países capitalistas e as respetivas empresas multinacionais.
Carlos
ZORRINHO
 FOR (+) A América Latina, as Caraíbas e a União Europeia lançaram a «Parceria Estratégica Birregional» na Primeira Cimeira do Rio de Janeiro em 1999. As suas relações históricas, sociais e económicas sólidas, em conjunto com os seus valores partilhados, constituíram a base para este projeto ambicioso, que visa, entre outros objetivos, um diálogo político dinâmico e a criação de um espaço de debate político e económico entre as duas regiões. A parceria foi reforçada em 2010 com a fundação da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC). A Fundação, criada como uma plataforma política regional que reúne trinta e três Estados do continente americano, tem como missão fortalecer e promover a parceria estratégica birregional, reforçando sua visibilidade e promovendo a participação ativa das sociedades civis dos países em questão. O Acordo que estabelece a Fundação UE-ALC tem como objetivo estudar profundamente a parceria estratégica birregional. Por estas razões, votei a favor do relatório sobre o acordo que institui a Fundação Internacional UE-ALC.